As quatro árvores mais fascinantes de nosso planeta.


 A Árvore do Tule
Este cipreste (Taxodium mucronatum) caracteriza-se por ter o tronco com o maior diâmetro de nosso planeta. Encontra-se no átrio da igreja de Santa Maria do Tule (Oaxaca, México) e possui um tronco cujo diâmetro é de 42 metros e sua altura supera os 40 metros. São necessários ao menos 30 pessoas com as mãos entrelaçadas para poder rodear seu tronco.
 Sua idade real é desconhecida, mas estima-se que possui mais de 2 mil anos. Na primeira segunda segunda-feira de outubro celebram o dia da A árvore do Tule, um dia que é dedicado à árvore tem um significado muito especial para todos os habitantes desta região.




O General Sherman
O General Sherman é considerado como o ser vivo com a maior biomassa da Terra. Esta sequoia gigante tem 83,8 metros de altura e é a árvore que possui o maior volume líquido estimado de 1.486,6 metros cúbicos. Sua idade é calculada ao redor de 2.500 anos.




O General Sherman está localizado no Giant Forest, dentro da parque Nacional da Sequoia National Park junto com outros exemplares de similar porte.


 Matusalém
Matusalém, é o nome dado a um pinheiro (Pinus longaeva), considerado como o mais antigo organismo não clonado que se conhece com vida, com uma idade estimada de 4.789 anos. Esta medição foi estimada em 1957. No ano 2010 produziu-se uma nova estimativa que o situa cerca dos 4.841 anos.Esta idosa árvore foi descoberta por Edmund Shulman, e está localizada nas montanhas de Nevada, nos Estados Unidos. Sua localização exata permanece em segredo para protegê-lo e evitar vandalismos. Seu nome é uma referência à figura bíblica de Matusalém, que dizem que viveu 969 anos.


O Cajueiro de Pirangi
O maior cajueiro do mundo, está localizado na Praia de Pirangi a 12 quilômetros de Natal, Rio Grande do Norte. Além de ser o maior cajueiro é provavelmente a árvore mais frondosa, cobrindo uma área de aproximadamente 8500 m²; e a mais frutífera, produzindo aproximadamente oitenta mil cajus por ano.

A história conta que ele foi plantado em 1888, por um pescador chamado Luiz Inácio de Oliveira; que morreu aos 93 anos sob as sombras do cajueiro, que tem esta formação pela conjunção anomalias genéticas. Em vez de crescer para cima, os galhos da árvore crescem para os lados; com o tempo os galhos tendem a se curvar até alcançar o solo e criam novas raízes. Apenas um dos galhos teve comportamento normal, e parou de crescer após alcançar o solo; os habitantes do local apelidaram esse galho de "Salário Mínimo".




Nenhum comentário:

Postar um comentário